Ir para o menu| Ir para Conteúdo| Acessibilidade Alternar Contraste | Maior Constraste| Menor Contraste

Instituto Estadual de Florestas - IEF

Mais de 400 animais são removidos de forma preventiva do CRAS Nova Lima

PDFImprimirE-mail


Crédito: Divulgação/Sisema
Captura 600x400
Animais foram levados para o Centro de Triagem de Animais Silvestres de Juiz de Fora, mantenedouros e reabilitadores

Uma reunião conjunta entre o Instituto Estadual de Florestas (IEF), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e a Vallourec Mineração decidiu pela remoção de mais de 400 animais silvestres do Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS) de Nova Lima.


A medida foi tomada por motivo de segurança, em função do acionamento da situação de emergência do nível III do Dique Lisa da Mina Pau Branco, devido ao carreamento de material sólido da pilha Cachoeirinha, ocorrido nesse sábado (8/1). A Vallourec ficou responsável por executar a ação, com apoio de outras empresas.

A remoção teve início nesse domingo (9/1), envolvendo um efetivo de 57 profissionais (2 do IEF, 1 do Ibama, 3 da Vallourec e 51 contratados) e 21 veículos. Papagaios, araras, maritacas, periquitos, cachorros-do-mato, macacos-pregos, urubus, carcarás, corujas, gaviões, tigres d’água e jabutis são algumas das espécies que estão sendo encaminhadas para outros locais.

“No mesmo dia do ocorrido, a Vallourec, juntamente com representantes do IEF e do Ibama, criou um grupo de gerenciamento de risco para definição de um plano de ação para o resgate da fauna silvestre. A empresa, em conjunto com especialistas em fauna silvestre, providenciou a remoção de mais de 400 animais para criadouros e viveiros credenciados por órgãos ambientais”, disse Hildeu Dellaretti Junior, gerente geral de Relações Institucionais da Vallourec América do Sul.

De acordo com a Diretora de Proteção à Fauna do IEF, Liliana Adriana Nappi Mateus, a retirada dos animais - inclusive ameaçados de extinção - do Centro de Reabilitação de Animais Silvestres foi de extrema necessidade. Liliana destacou que são vidas importantes que devem ser protegidas. Os animais estão sob a tutela do estado. Em relação à execução do resgate pela Vallourec, trata-se de uma obrigação legal, assim como manter toda uma infraestrutura, inclusive de pessoal habilitado, para o cuidado e proteção destes animais, até o seu retorno às instalações do Estado, concluiu a Diretora.

Os mais de 400 animais foram encaminhados para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) de Juiz de Fora, mantenedouros e reabilitadores. Outras entidades que estão apoiando a ação também receberão animais de forma provisória.


Matheus Adler
Ascom/Sisema

IEF|

Rodovia João Paulo II, 4143, Bairro Serra Verde - CEP 31630-900
Todos os direitos reservados - Aspectos legais e responsabilidades